Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

You have no right to be depressed

You have no right to be depressed

27
Fev17

Eu sei que é Carnaval mas...

Sinceramente nunca fui muito dado as ramboias carnavalescas e para ajudar ao meu bom humor das ultimas semanas o São Pedro presenteou-nos com uma chuva fina mas chata e incessante (ou como se usa por cá a "chuva molha tolos") o que me parece a conjunção de factores perfeita para ficar em casa acabar finalmente a biografia do Bruce Springsteen e talvez ver um filme. 

O que vão fazer o mesmo e uma playlist para ajudar a leitura dava jeito? Não digam mais nada, tenho não uma mas três playlists bonitas para estes dias chatos de chuva. 

Não tem nada que agradecer, são por conta da casa!!

 

 

 

 

27
Fev17

Duvidas, saudades, indecisões e decisões...

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Dos dias com duvidas. Com saudades e com indecisões mas a precisar urgentemente de decisões... ou de um sinal. 

Como é óbvio provavelmente isto aqui em cima não faz sentido absolutamente nenhum para ninguém, talvez nem sequer para mim o que acaba por ser irónico visto que sou eu que estou a escrever isto. Mais irónico ainda este blogue chamar-se "You have no right to be depressed" e o raio do conteúdo disto ser constantemente depressivo e escuro. "Tenho uma alma mais negra do que a roupa que visto no corpo" li isto algures numa rua no Porto e faz um sentido danado na minha pessoa. Estranho, parece que foi escrito de propósito.

Já agora eu sei que já passaram uns meses, mas o My Woman da Angel Olsen continua a ser o meu álbum favorito em 2017 e o Primavera (e a primavera já agora) nunca mais chegam...

 

16
Fev17

For.... , Forever Ago

"Nostalgia é saudade do que vivi, melancolia é saudade do que não vivi"

 

Melancolia é a palavra chave deste sentimento que vivo constantemente, segundo Freud a "Melancolia é um estado emocional semelhante ao processo de luto mas sem a perda que o caracteriza". Acho que o Freud esta certo e errado ao mesmo tempo porque sinto que perdi algo mas....

Ate que ponto é normal ou saudável até, pedir ou exigir algo que nunca foi meu? Como é possível sentir saudade e nostalgia de coisas que nunca vivi? 

A minha imaginação prega-me constantemente partidas e faz-me imaginar um milhão de cenários possíveis mesmo antes destes acontecerem, sou assim com tudo, sofrer sempre por antecipação, mas sonhar também. Mas é saudável ou compreensível sentir saudades de algo que não foi real? 

Consigo perceber de certa forma o que foi real. O teu cheiro, o toque, o brilho do sol de primavera no teu cabelo e acima de tudo o teu sorriso e a tua maneira de rir ainda me doem no coração e na memoria, mas também me ajudam e trazem um sorriso nostálgico nos dias amargos. Romântico incurável e amante de historias de amor, das que vêem nos livros e filmes e que quase não parecem existir (pelo menos na realidade cinzenta onde vivo). Provavelmente o problema é mesmo esse, vivo demasiado preso a esse desejo ou tentativa de encontrar esses momentos simples e perfeitos. Tudo isto fruto da minha mente e do meu coração que me empurram dois passos para a frente, quando a realidade me puxa dez passos para trás.

Sinto-me farto de voltar a esta realidade paralela, mas no entanto não o consigo evitar..

 

12
Fev17

I Wanna Be Adored

Tal como diziam Morrissey e Marr "I am human and I need to be loved, Just like everybody else does"  e eles bem sabiam do que falavam. Esta necessidade parva e muito humana de sentir afecto e até talvez aceitação por parte das outras pessoas (e de algumas pessoas em especial) é das coisas que acho mais dificieis de gerir. Não é que não me sinta feliz a sozinho porque enquanto filho único habituei-me desde cedo a fazer coisas e a funcionar muitas vezes sozinho (o que também torna tudo estupidamente mais difícil) mas há dias em que parece que falta alguma coisa. Não sempre, mas há dias que sabia bem aquele abraço, palmada nas costas ou outra coisa qualquer que te faça sentir completamente preenchido. Isto é que eu acho dificil de gerir e de perceber quem são as pessoas onde devemos procurar estes afectos. Porque depois muitas vezes por tentar ver sempre o lado melhor de toda a gente acabo sempre por ser quem fica com as dores todas. "allways wake up alone" como dizia a Amy.

Mas lá esta provavelmente isto vem tudo da minha veia de romancista do sec XIX, ou talvez por ser estupidamente melancólico e sentimentalista, ou quem sabe até por ser caranguejo. 

No fundo no fundo a culpa é dos Stone Roses e da quantidade absurda de vezes que ja ouvi a "I Wanna Be Adored"

 

11
Fev17

Coisas Para Ver #1

16602171_1350024451736775_5715710476101613620_o.jp

 

Hoje vou finalmente ao meu primeiro concerto do ano. Foi um inicio de ano atípico e deixei passar mesmo nas ultimas semanas varias coisas que queria ver mas hoje vou aproveitar a vinda dos autores de um dos meus discos favoritos de 2016 a norte e vou dar um pulo a Casa das Artes a Famalicão e ver o que valem ao vivo os Sean Riley & The Slowriders. O concerto é as 21:30h ainda há bilhetes (5 e10 euros) e se não tiverem planos aproveitem porque de certeza que vai valer a pena.

07
Fev17

One For The Road

Apesar da minha ausência durante as primeiras semanas deste ano vou tendo varias vezes vontade para escrever, farto-me de fazer rascunhos e varias vezes tenho ideias incríveis para textos durante o caminho para o trabalho, ou mesmo durante o trabalho, no entanto o meu caderno mental é de memoria tão curta que tudo se evapora ainda antes do fim do dia. Acho que o gene do Alzheimer me esta a atacar em força, estou constantemente a esquecer-me de coisas (o que na verdade até foi sempre normal em mim) mas também já não vou propriamente para novo e como dizem os Capitão Fausto "nunca esquecer que a mocidade para nós chegou ao fim" e eu do alto (1,97cm precisamente) dos meus 28 anos e meio já vou sentido o peso da mocidade já lá ir e percebi no outro dia quando me pediram no cinema o Cartão do Cidadão para confirmar a validade do cartão jovem que quase já não tenho idade para o usar, já sinto a nostalgia a apertar caramba.

Não sei se já o disse aqui mas odeio mudanças de ano, fico sempre completamente trocado e a sentir-me ligeiramente perdido, dai também a minha ausencia, estava a tentar por tudo em ordem. Finalmente um mês depois a coisa começa-se a compor e as nuvens começam a esvanecer aos poucos. Estou com uma ressaca de concertos enorme cheio de vontade de ver mil coisas e muito lixado da vida porque nestas ultimas semanas perdi coisas que queria muito ver como Black Mamba ou Cage the Elephant. Comecei a ir ao ginásio (embora devagar... muito devagar) doem-me os músculos e por enquanto encontrar motivação para ir tem sido um sacrifício. Tenho ouvido uma playlist bonita que os incríveis Best Youth fizeram para o Spotify (aqui) e continuo a achar que o A.M dos Arctic Monkeys (2013 caramba!!) é um dos melhores álbuns da década e não o largo por nada.

06
Fev17

Álbum da Semana #2

f5exhz2scz7pzt6vnedmkxdld.1000x1000x1.jpg

Channel Orange é sem duvida um dos álbuns mais interessantes da ultima década, não só no r&b mas no panorama musical no geral. Ocean não se preocupa em fazer musicas para vender, preocupa-se antes em criar um disco que nos transporta através de cada uma das 17 musicas pela historia de uma (ou varias) personagens sobre desgostos, álcool, drogas, sobre escolhas, sobre erros e no fundo sobre a vida. Destacar obviamente Thinkin About You que fartou-se de rodar nas rádios e é um daqueles hits instantâneos que fica preso a ti durante semanas, Lost (a minha preferida do disco), Pyramids e Monks. Mas sinceramente deviam ouvir todo o disco do inicio ao fim... vão ver que me vão agradecer.

Channel Orange - Frank Ocean (2012 - The Island Def Jam Music Group)

19
Dez16

As Minhas Canções Favoritas de 2016

Primeiro que tudo convém dizer que eu não tenho especial jeito para fazer listas. Não é o escolher as 20/30 musicas que mais ouvi durante o ano que é o mais complicado (não que não o seja porque eu passo horas a ouvir álbuns inteiros), o difícil é sem duvida numerar a coisa. É impossível para mim dizer que a musica x é A MUSICA de 2016. Simplesmente não consigo... mas o que consigo é juntar todas as minhas preferidas e fazer uma lista absolutamente incrível (modesto claro) com as musicas que eu mais gostei e mais ouvi durante o ano e as que acho que vocês tem mesmo que ouvir.